Post Recomendado

Quem deve gerir as redes sociais: o Marketing ou a Comunicação/PR?

Quem deve gerir as redes sociais corporativas de uma empresa? Os profissionais de relações públicas ou o marketing? De acordo com a recente pesquisa da The Creative Group, mais de metade (51%) dos profissionais de publicidade acreditam que as redes sociais devem ser uma responsabilidade das equipas de PR/comunicação. Já em 2013 esta mesma pesquisa concluiu que já 39% já tinham esta opinião. Diane Domeyer, diretora da Creative Group, explica a tendência numa frase: “O Social Media pode afetar a reputação de uma empresa e esta é a principal razão pela qual este canal deverá ser gerido pelas relações públicas”.Ler +

Hiperligação para os outros é quase sempre bom; hiperligação para os seus conteúdos é melhor

A hiperligação continua a ser a pedra fundamental do posicionamento na web. Isto continuará a ser verdade enquanto os rankings forem calculados pela relevância das referências, e como parece que isto não vai mudar nos próximos anos (embora mude a maneira de avaliar a influência e a relevância), vamos continuar a adorar este excelente recurso para completar os nossos conteúdos. A hiperligação externa, para outros sites, é uma maneira de completar a informação perante o nosso público e além disso de assinalar a terceiros que estamos a fazer uma referência ao seu conteúdo. Fazemos a hiperligação porque consideramos os conteúdosLer +

Não se trata de visitas, trata-se do tempo que passam contigo nessas visitas

Medium, Youtube ou Financial Times começaram a mostrar aos anunciantes como são bons ao dizer que os seus visitantes passam mais tempo nos seus sites que em qualquer outro. Deixaram de usar métricas tradicionais como as páginas vistas, os visitantes únicos e algumas mais recentes como, por exemplo, as vezes que se partilhou um post nas redes sociais? É lógico (e mais ajustado à realidade) medir o rendimento de um site segundo a satisfação da pessoa que o visita, é importante saber quanto tempo foi usado esse site. Quem tem uma boa explicação é Tristán Elósegui. Muitas vezes ficamos obcecadosLer +

O sucesso da The Economist Expresso

O seminário britânico The Economist lançou em novembro de 2015 o The Economist Expresso, um briefing informativo com cinco temas, disponíveis em email e também como aplicação para Android e iOS. Vários meses depois, sabemos pelas declarações do seu editor Tom Standage, que o projeto não correu nada mal. A aplicação foi descarregada cerca de 600.000 e teve picos semanais de 200.000 leitores. Para entender o sucesso do produto convém ler as últimas palavras de Standage. Estas servem para tirar conclusões úteis sobre o papel das redações e o processo criativo nos meios agora que o jornalismo, marketing e novasLer +