Mary Meeker regressa com as suas previsões sobre tendências no setor de tecnologia

Um compromisso referido no calendário dos especialistas em Marketing e Publicidade é o das previsões de Mary Meeker. Fundadora da Bond Capital, empresa de investimentos em capital de risco, Mary Meeker destaca, todos os anos, as principais transformações do setor e as mudanças futuras, no seu relatório “Internet Trends Report”.

De seguida, vamos analisar as ideias principais, de acordo com os meios de comunicação do setor, da sua apresentação para 2019, (que vai poder consultar a versão completa aqui). O documento tem, nada mais nada menos, do que 333 slides.

Principais elementos do relatório Tendências na Internet de 2019

Uma das primeiras questões que dá início ao relatório é o abrandamento na adoção da Internet. Localizado ligeiramente acima dos 50%, é mais lento noutras regiões, devido à construção demorada de infraestruturas que facilitam a conexão. A Índia e a China são países com milhões de utilizadores, mas, ao mesmo tempo, possuem milhões que não utilizam diretamente a Internet (no caso da Índia, é mais de metade da população).

Alguns dados relevantes:

  1. O uso de dispositivos móveis continua a crescer, enquanto o tempo conectado à Internet através de um computador mantém-se.
  2. O uso das principais redes sociais permaneceu igual (mais ou menos), enquanto o YouTube e o Instagram cresceram significativamente.
  3. Neste contexto, os chamados “Stories” são os grandes vencedores do ano passado.
  4. Outro elemento de grande sucesso são os podcasts, que já “agarraram” o público e nos quais muitas marcas têm apostado.
  5. O potencial dos videojogos continua a crescer e é um mercado enorme. O que interessa aqui é transmitir conteúdo de streaming em plataformas como o YouTube ou o Twitch.

São apontados outros dados mais técnicos, como por exemplo: apenas 3 das 10 empresas mais fortes em termos de valor de mercado, no mundo, não são do setor de tecnologia (Berkshire Hathaway, Visa e Johnson & Johnson).

Questões preocupantes devido ao “boom” da tecnologia

Existem dois pontos que são óbvios no que diz respeito aos “tempos turbulentos” que o mundo vive a nível político. Primeiro, e à medida que o volume da Internet cresce, Mary Meeker prevê que se criarão as condições propícias para o aumento de conteúdo problemático. 42% dos adolescentes americanos são insultados online, os terroristas são radicalizados no YouTube e as redes sociais têm incentivado a polarização política.

Por outro lado, Mary Meeker informa que 60% das 25% empresas de tecnologia mais importantes foram fundadas por imigrantes de primeira ou segunda geração. Todas elas empregam 1,9 milhões de pessoas. Portanto, novas políticas de imigração de caráter mais estrito podem impedir o aparecimento de talentos, de empregos e de oportunidades.

Por último, observamos o gráfico mais assustador da apresentação de Mary Meeker para os jornais: diz respeito a um gráfico que compara dados de 2010 com dados de 2018, sobre o tempo gasto com meios de comunicação e aquele gasto em publicidade.

Destacamos alguns dados:

  1. Em 2010, a imprensa escrita conquistou 8% da atenção do público e 27% de dólares em investimento em publicidade (24,32 euros). No entanto, a atenção caiu para 3% em 2018 e o investimento caiu  até 7%.
  2. A televisão ainda é um grande pilar para a publicidade, mas a atenção e os investimentos, em 2010, foram de 43% e agora, ambos caíram para 34%.
  3. No que diz respeito à rádio, o declínio tem vindo a verificar-se há anos. Em 2010, teve 16% de atenção e 11% de investimento em publicidade. Os números de 2018 são de 12% e 8%, respetivamente.
  4. Enquanto os gastos e a atenção nos ecrãs de computadores permanecem mais ou menos estáveis (apenas a atenção do público caiu de 25% para 18%), a mudança de paradigma está no mercado móvel. Apenas 8% da atenção nos meios de comunicação e 0,5% dos investimentos em publicidade. Em 2018, os dispositivos móveis ocupavam 33% do nosso tempo e também dos gastos com publicidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*