Porque vale a pena publicar no LinkedIn

linked1

2014 foi o ano em que se começou a publicar massivamente no LinkedIn. O que antes estava reservado a uns poucos “influencers” em todo o mundo, popularizou-se, deixando assim o LinkedIn em posição de competir com outros sistemas de publicação mais casuais. Recebeu-se com ceticismo a manobra, por temer-se conteúdo inútil, mas o que realmente se encontrou foi um excelente ecossistema para partilhar conhecimento e uma ferramenta útil a ter em conta quando projetamos campanhas.

Vale a pena publicar no LinkedIn se queremos alcançar potenciais clientes. Algo que se entenderá ao ler os dados do Oktopost que Rachel Foster fornece no seu artigo prático sobre o sistema de publicação no Linkedin.

Precisamente deste artigo de Foster que relata a sua (boa) experiência ao publicar no LinkedIn, podemos extrair uns quantos conselhos valiosos para conseguir tirar o máximo partido das nossas publicações.

1. É um bom conteúdo? Lembre-se que nesta plataforma falamos, recomendamos e chamamos à atenção de profissionais do seu setor. As expectativas são altas e quem publica deve satisfazê-las. O conteúdo precisa de ser relevante, novo ou que aborde um tema em profundidade.

2. Deve trabalhar os títulos. Por trabalhar referimos inclusive evitar os títulos demasiado extensos (entre 40 e 49 caracteres é o ideal segundo este estudo). Não tem muito espaço, por isso seja conciso, use a clareza e os links como prioridades.

3. Estabeleça fórmulas para conseguir que esse artigo viaje. É o que a própria Rachel Foster faz no final dos seus posts.

3WaystoApplyThisInfo

Parece que as redes profissionais vão ser tendência nos próximos anos. Existem rumores de que o omnipresente Facebook será uma futura concorrência do LinkedIn, por isso é bom momento para familiarizar-se com este ecossistema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*